Rádio Kanastra 37 – NO WAVE

22/12/2010

Os anos 70 foram marcados pelos movimentos undergrounds, que principalmente em NY movimentavam o rock n’ roll. Neste cenário que ditava e ronovava constantemente as regras vanguardistas, um movimento bem curto e novaiorquino influenciou o pós-punk e desafiou o universo musical: o No Wave!

x

x

Playlist do programa:

#1
THE CONTORTIONS
Design To Kill
Buy (1979)

x

Download

x

x

x

#2
THE CONTORTIONS
Dish It Out
No New York (1978)

x

Download

x

x

x

#3
TEENAGE JESUS & THE JERKS
Orphans
7″ vinyl (1978)

x

xDownload: Best of

x

x

x

#4
THE CONTORTIONS
Contort Yourself
Buy (1979)

x

Download

x

x

x

#5
JAMES WHITE & THE BLACKS
Sax Maniac
Filme: Downtown 81 (1981)

x

#6
DEFUNKT
Make Them Dance (vídeo)
Defunkt (1980)

x

Download

x

x

x

#7
MARS
Helen Fordsdale
No New York (1978)

x

Download

x

x

x

#8
DNA
Blonde Red Head
Filme: Downtown 81 (1981)

x

#9
THE CONTORTIONS
I Can’t Stand Myself
Live at CBGB (1978)

x

x

Extras:

Download: Downtown 81 (A New York Beat Movie) – 1981

New York No Wave photo archive


Programa 08 – Soul Brasil 70

11/05/2009

Bloco 1:

Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis. 

Bloco 2:
Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis. 

 

Último programa da 1ª temporada da Rádio Kanastra, Soul Brasil 70, fala um pouco do ínicio desse gênero em nosso país. Ótimas bandas, ótimos discos, que tiveram como precursor o Tim Maia, um dos nossos mestres da voz, íniciou sua trajetória lá no país de origem do Funk e do Soul, os Estados Unidos.

Lá na gringa ele absorveu toda a influência desses ritmos e quando voltou ao Brasil não perdeu tempo, já em seu segundo compacto, de 1969, implacou o hit “These Are The Songs”, que posteriormente seria consagrado pela voz de Elis Regina.

Nos anos 70 lançou alguns discos, os três primeiro tiveram vários sucessos como “A Festa do Santo Reis”, “Não Quero Dinheiro”, “Canário do Reino” entre outros. Curta aqui um pout-pourri do grande Tim Maia cantando “Idade” e tocando bateria, instrumento que fez parte do ínicio de sua carreira. Vale a pena conferir.

Na sequência lançou o antológico Tim Maia Racional, que na Virada Cultural deste ano teve o Instituto tocando grande parte deste excelente disco duplo. Para conferir este show, mais alguns e outros acontecimentos da Virada, assista a matéria da semana e o vídeo Virada Cultural 2009, produzido pela Kana.

Depois desta breve viagem ao mundo Racional, Tim Maia voltou ao seu velho estilo, sexo, drogas e rock and roll. Continuou implacando vários sucessos ao longo da carreira que terminou em 98 com sua morte.

Outra grande banda da época era a Banda Black Rio, que formada por grandes nomes da música negra brasileira, alcançou sucesso internacional por seu brilhantismo e swing. Formada em quadras de samba, tinha grandes músicos como Oberdan Magalhães, que já tinha participado de outra ótima banda a União Black. Veja o  cliple “Maria Fumaça”, Banda Black Rio (1982).

Jorge Ben, apesar de ser o nome do samba-rock brasileiro, fez bonito no quesito funk/soul. No final dos anos 70 e ínicio dos 80 lançou alguns discos que esbanjavam o swing carioca, e que contou com parcerias como esta aqui:

Jorge Ben e Tim Maia – Lorraine (1982)

Mais dois nomes fariam muito sucesso nesse tempo, Toni Tornado e Gerson King Combo. O primeiro explodiu com o sucesso BR3, e logo em seguida fez outros sucessos como Black Esperto [veja Toni Tornado nos Trapalhões, cantando Black Esperto].

Mas se existe um rei da Soul Music brasileira, o nome é Gerson King Combo. Além do ativismo nas questões raciais, aderiu todo o estilo James Brown, que não se limitou as roupas, mas a grande categoria de fazer músicas. Lançou dois ótimos discos no final dos anos 70, Gerson King Combo e Gerson King Combo Vol. 2.

Dá uma olhada no estilo dele.

foto002

foto003

1977)_Gerson_King_Combo

Gerson King Combo (1978) Vol II


%d blogueiros gostam disto: