No estúdio com… Rock Rocket

01/06/2010

O Rádio Kanastra foi visitar em estúdio a banda paulistana Rock Rocket, que conversou sobre música e suas impressões sobre o rock atual, mundial e paulistano, e tocou as três músicas do seu novo compacto em 7” Rocket Jane, além de um som bônus, em primeira mão. Este especial, segundo da séria “No estúdio com…”, você confere abaixo.

Parte 1:

Parte 2:

youtube.com/noestudiocom
 

Anúncios

Programa 10 – Paul McCartney

22/05/2009

Segundo programa da segunda temporada, tem Sir James PAUL McCARTNEY!

Bloco 1:
Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis. 

Bloco 2:
Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis. 

Logo após o fim dos Beatles, ainda em 70, Paul lança o seu primeiro disco, “McCartney”. A gravação ocorre em um estúdio particular, em sua própria casa. Com a ajuda de sua mulher Linda, que grava os vocais de apoio, ele mesmo produz e toca todos os instrumentos.

No ano seguinte, já com uma banda de apoio, ele grava o álbum “RAM”, que abria com a música “Too Many People”, uma alfinetada ao ex-parceiro John Lennon. No mesmo ano chama o guitarrista Denny Laine, ex- Moddy Blues, e juntamente com sua eterna parceira Linda McCartney funda a Banda “The Wings”. Em 72 sai o primeiro disco, cheio de personalidade e que só tem música boa, o Wild Life.

Paul & Linda – Tomorrow

O ano de 73 foi um dos mais cheios pra banda de Macca. Lançam os excelentíssimos discos “Red Rose Speedway”, cujos primeiros compactos foram banidos da rádio BBC, o primeiro “Give Ireland Back to the Irish” por seu conteúdo político e o segundo “Hi Hi Hi” por seu conteúdo sexual, e “Band on The Run”, que viria a ser o disco de mais sucesso da banda. Gravaram ainda a música “Live and Let Die” especialmente pro filme do James Bond: “007, Viva e deixe Morrer”.

The Wings – Hi Hi Hi

The Wings – Band on the Run

Os Wings estavam cada vez mais entrosados e logo gravaram mais dois discos maravilhosos, “Venus and Mars” e “Wings At The Speed Of Sound”, que contava com mais uma cutucada a John Lennon na música “Silly Love Songs”, depois do John ter escrito a música “How do You Sleep” em “homenagem” a McCartney. Emendaram logo na seqüência uma super turnê que virou disco triplo, “Wings Over América”.

The Wings – Silly Love Songs

A formação fixa dos Wings sempre foi Paul McCartney, Linda McCartney e Denny Laine. Os outros músicos eram sempre convidados especiais que participavam dos discos e das turnês. Rolava sempre uma rotatividade. Foi o que aconteceu ao voltarem para casa e iniciarem as gravações de “London Town”. O batera e o outro guitarrista deixaram a banda, mas desta vez o disco foi concebido apenas com os três integrantes fixos.

O início das gravações foi no estúdio da Abbey Road e a conclusão nas Ilhas Virgens. Todos os discos dos Wings eram gravados em outros países e o LP acabou sendo o mais vendido da banda.

Em 1979 lançam seu último e mais alucinante disco, “Back to The Egg”, com participações de Pete Townshend do The Who, David Gilmour, que viria ser seu parceiro nos anos 80, do Pink Floyd, e a dupla do Led Zeppelin John Paul Jones e John Bonham. A música “So Glad to See You”, que contava com toda essa galera, acabou ganhando o Grammy de melhor performance instrumental em 1980.

The Wings – Back To The Egg Medley

O terceiro disco solo de Paul McCartney e primeiro após o fim do Wings chamava-se “McCartney II”. A música “Coming Up”, que abre o disco, foi muito inovadora na época e alvo de uma crítica enfim, positiva de seu ex parceiro John Lennon. John disse que essa tinha sido a melhor coisa que Paul tinha feito após o termino dos Beatles.

Paul  McCartney – Comming Up

Em 82, reencontra o antigo produtor dos Beatles George Martin e grava “Tug of War”, com participações especiais de Ringo Starr, Carl Perkings e Stevie Wonder, na música “Ebony and Ivory”. É nesse ano que faz sua primeira parceria com Michael Jacson, na música “The Girl is Mine”, lançado no Thirller, disco de Michael daquele ano.

No ano seguinte é a vez de Macca colocar uma parceria sua com o rei do pop em um de seus discos. “Say, Say, Say” foi a música de maior sucesso do disco “Pipes of Pieces”, que contava com as mesmas participações do álbum anterior, e também com o ex-Wings Denny Laine.

Paul McCartney – Say Say Say

No ano de 1984 Paul escreve e atua no filme “Give My Regards to Broad Street”, cuja trilha sonora leva o mesmo nome. Participação mais do que especial de David Gillmour na música “No More Lonely Nights”. Atuaram no filme, além de Paul, sua mulher Linda, o ex-beatle Ringo Starr e sua mulher Barbara Bach e a atriz Tracey Ullman. (Assista ao clipe Paul McCartney – No More Lonely Nights).

Em 86 lança o álbum considerado o mais fraco de sua carreira: “Press to Play”.

Dois anos depois sai, originalmente na União Soviética, e depois no mundo inteiro, o disco “Снова в СССР” , com regravações de clássicos do Rock and Roll.

Depois desses dois discos sem muita repercussão, Paul começa uma ótima parceria com o cantor e compositor Elvis Costello. Algumas dessas músicas são lançadas em discos e singles de Paul McCartney e algumas em materiais de Elvis Costello. Por exemplo a música “My Brave Face”, lançada no disco de 1989 “Flowers in The Dirt”, que gerou a primeira turnê de Paul após a morte de John Lennon e a volta aos palcos nos Estados Unidos desde a turnê “Wings Over América”. A turnê chamada chamada “The Paul McCartney World Tour” virou também disco ao vivo. (Assista ao clipe Paul McCartney – My Brave Face).

Em 1990 foi a vez dele tocar aqui no Brasil pela primeira vez. O show no Maracanã reuniu cerca de 184 mil pessoas. (Assista Paul McCartney – Let It Be live in Rio ’90)

Em 1991 lança seu “Unplugged” e dois anos depois o ótimo “Off The Ground”. Cai na estrada novamente numa turnê mundial, que vira disco, “Paul is Live”. Paul retorna ao Brasil para shows em São Paulo e Curitiba.

Na sequëncia aproveita para se reunir com os demais Beatles vivos à fim de realizar o Antology, projeto com materiais em disco, vídeo e livro. Destaque para o “lançamento” de duas novas músicas dos Beatles: “Free as Bird” e “Real Love”, onde eles mixaram a voz de John com as dos outros integrantes. (Assista Free as a Bird).

No ano de 1997 Paul volta ao topo das paradas com o excelentíssimo “Flaming Pie”, voltando ao top 10 dos EUA após 15 anos. Foi o último disco que contou com a parceria de sua mulher Linda, que viria a falecer em virtude de um câncer de mama no ano seguinte

Paul McCartney – The World Tonight

Em 1999 faz parcerias com Mark Knopfler e Eric Clapton, os reis da parceria, durante o show “Music For Montserrat”. Também lança o disco “Run Devil Run”, novamente com clássicos do Rock and Roll.

Já no século XXI é lançada uma coletânea dos Wings em disco e DVD chamada “Wingspan”. Aém disso, Paul McCartney organiza o “The Concert for New York City”, um show em resposta aos ataques de 11 de setembro. Participações de The Who, Eric Clapton, de novo, Billy Joel, Elton John, entre outros. Ainda em 2001 morre George Harrisson, seu ex-parceiro de Beatles. Paul lança o disco “Driving Rain” e na turnê passa a tocar algumas músicas do guitarrista, como “For Your Blue”, “Something”, “While My Guitar Gently Weeps” e “All Things Must Pass”.

A Turnê de “Driving Rain” vira CD e DVD ao vivo: “Back in the US”, lançado em 2002. Na mesma época compôs e gravou a canção título para o filme Vanilla Sky. (Assista Paul McCartey – Live and Let Die US ’02).

Sua volta triunfante seria mesmo com o excelente disco “Chaos and Creation in the Backyard”, seu último disco na Captiol Records. Depois disso ingressa na rede de cafés Starbucks com o seu selo musical “Hear Music”, lançando o álbum “Memory Almost Full”. Na data de lançamento, todas as 10 mil lojas da Starbucks tocaram o disco de Paul McCartney durante todo o dia.

Clipe Paul McCartney – Jenny Wren

 

 
Semana que vem, tem especial 1996 no Rádio Kanastra. Clássicos que todo mundo conhece e cançou de ouvir neste ano símbolo da década que esta caindo novamente na graça de um povo nostálgico, os 90.



PROGRAMA 06 – De Melvins a PJ Harvey

25/04/2009

No programa 6 da Rádio Kanastra, ligações musicais nos fizeram ir de Nirvana a Eagles of Death Metal, de Melvins a PJ Harvey, e uma matéria sobre o show do Heavy Trash em São Paulo.

Bloco 1:
Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis. 

Bloco2:
Vídeos do VodPod não estão mais disponíveis. 

 

Iniciamos o primeiro bloco com o Nirvana tocando Big Cheese, ao vivo em estúdio, para falar da primeiro banda de Kurt Cobain, o Fecal Matter, que durou apenas um ano, de 85 a 86, e gerou apenas uma demo.

Kurt formou o Fecal Matter com dois integrantes do Melvins, Dale Crover e Buzz Osbourne. Buzz Osbourne que, em 1998, foi chamado pelo Mike Patton, ex-vocalista do Faith no More, para formar uma banda com ele, Trevor Dunn, que já tinha tocado com Patton no Mr. Bungle, e Igor Cavaleira. Mas o Igor negou, e indicou o Dave Lombardo, ex-Slayer, para a batera, que aceitou. Nasceu o Fantômas, que já tem cinco discos lançados. (assista ao clipe de Cape Fear ao vivo).

Com o fim do Nirvana em 1994, após o suicídio de Kurt, o Krist Novoselic formou duas bandas: A Sweet 75, que lançou apenas um disco em 97, e a Eyes Adrift, mais recentemente, que em 2002 lançou também seu único disco, e que contava com o baixista e vocal dos Meat Puppets, banda que o Kurt também adorava, o Curt Kirkwood, e com o baixista do Sublime ,o Bud Gaugh, (assista a clipes do Meat Puppets, Sweet 75 e Eyes Adrift).

Já o Dave Grohl, baterista do Nirvana, que entrou na banda só após o primeiro disco, Bleach de 1989, deixou um pouco as baquetas de lado e formou o conceituado Foo Fighters, que já tem 6 discos lançados. (Veja o clipe I’ll Stock Around, do primeiro álbum).

Mas Dave Grohl não parou com a bateria totalmente não. De lá pra cá, ele permanence fazendo participações como baterista em vários discos, e com vários artistas. A que destacamos no programa, a gravação do terceiro album do Queens of the Stone Age, o “Songs for the Death”, de 2002.

                  q1

(Assista ao clipe de Dave Grohl com Queens of The Stone Age, tocando Regular John, música do primeiro disco do Queens).

O Queens of The Stone Age é liderada por Josh Homme, figura respeitadíssima, reponsável por vários projetos bons. Sua primeira banda foi a Kyuss, que se consolidou no cenário underground, evidenciando o estlo que vieram a chamar de stoner rock.

Em 1997, Homme fundou o projeto Desert Sessions, junto com a PJ Harvey e outros músicos de Palm Desert, na Califórnia, que tem a proposta de fazer sessões de estúdio e lançá-las em discos numerados (volume 1, 2, 3, 4…). O ultimo é o volume 9, de 2003, que trás as músicas Wanna Make It Wit Chu, que o QOTSA regravou mais tarde, e a Crawl Home.

Outro projeto muito bom, que Josh Homme fundou com Jesse Hughes, é o Eagles of Death Metal, que já lançou 3 discos, e na qual Homme toca bateria. Atualmente, porem, ele se afastou da banda por excesso de projetos, mas continua dando umas palhinhas com eles de vez em quando. (Veja os clipes de Wanna Be in LA, do ultimo disco, e I Want You so Hard (The Boys Bad News), do primeiro, que trás a paticipação de Homme, Dave Grohl e até do Jack Black).

Semana que vem, mais ligações extensas entre produtores e seus projetos. Clássicos e mais clássicos.

 

 

 


%d blogueiros gostam disto: